“Vamos trabalhar com Lula e o Brasil”, diz ministro português

Foto: Vicente Nunes/CB.DAPress

Hits: 1

O governo de Portugal está totalmente mobilizado para receber o presidente eleito do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, nesta sexta-feira (18/11). Segundo informou o ministro de Negócios Estrangeiros, João Gomes Cravinho, a expectativa é grande, porque abre-se uma janela de relações para os próximos quatro anos, depois de um grande distanciamento entre os dois países durante a gestão do presidente Jair Bolsonaro.
“Nossa expectativa é de grande entusiasmo, naturalmente. Temos uma vontade mútua de que, nos próximos quatro anos, possamos trabalhar de forma intensa”, afirmou Cravinho ao ser questionado pelo Correio durante a abertura da exposição Outras lembranças, outros enredos, em comemoração ao bicentenário da Independência brasileira. “Não realizamos uma cúpula entre Brasil e Portugal desde 2016, reuniões que eram anuais. Portanto, estamos com muita vontade de recuperar o tempo”, acrescentou.
Na avaliação do ministro, não será uma relação construída do zero. “Conhecemos muito bem Lula, que conhece muito bem Portugal. Não estamos recomeçando do zero, muito pelo contrário. Retomamos sobre uma base muito sólida de relacionamentos passados”, afirmou. Para ele, ao escolher Portugal como primeiro país para uma visita bilateral depois de sua eleição, Lula dá um sinal muito forte ao governo e ao povo portugueses. “E nós vamos dizer que, do nosso lado, haverá correspondência a esse sinal”, emendou.
Comércio exterior
Cravinho acredita que é possível acelerar as relações comerciais entre Brasil e Portugal, que andam estagnadas. “O comércio entre os dois países tem evoluído relativamente pouco, mas estamos trabalhando em vários planos, como no bilateral, entre Brasil e Portugal, e, de forma mais ampla, entre o Mercosul e a União Europeia. Acreditamos que possa haver, agora, condições para fechar esse acordo e ampliar o nosso relacionamento econômico”, frisou.
Lula desembarcará em Lisboa direto do Egito, onde participa da COP27, a cúpula do clima. No entender do ministro, esse será um dos temas dominantes das conversas entre o líder brasileiro e o presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Souza, e o primeiro-ministro, António Costa. “Acredito que Portugal e Brasil podem trabalhar juntos de forma muito intensa em matéria de energias renováveis. É uma das áreas fortes da economia portuguesa. E não há dúvidas de que o Brasil vai implementá-las de forma muito significativa”, assinalou.
Outro ponto importante, segundo Cravinho, é o fato de o Porto de Sines, ao sul de Portugal, ser o mais próximo do Brasil, país que tem grande potencial de se tornar exportador de hidrogênio verde, que será a energia do futuro. “Isso será mais um elo para as relações entre Portugal e Brasil”, ressaltou. A agenda de Lula em Lisboa ainda não foi fechada, mas está praticamente certo um almoço entre ele, Marcelo e Costa.

Por: Vicente Nunes – Correio Braziliense

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *