Pernambucanos tentaram fraudar concurso da PM-CE e foram presos

Hits: 68

e saiu novamente. Ao retornar, já encontrou os militares no local.

Ainda conforme o relato de Lucas, há cerca de 15 dias uma pessoa entrou em contato com ele para vender o gabarito da prova, pela quantia de R$ 20 mil. O valor seria pago apenas quando o candidato conseguisse a aprovação no certame. Ele aceitou a oferta, mas não chegou a fazer a prova, pois “ficou com medo”.

Felipe fez um relato parecido com o de Lucas, que uma pessoa entrou em contato oferecendo o serviço de ponto eletrônico de escuta para receber informações do gabarito. O homem alegou que no dia da prova um homem lhe entregou um ponto eletrônico e uma máscara azul tipo N95, onde havia um microfone. O combinado era que ele também pagasse R$ 20 mil quando aprovado.

O suspeito chegou a fazer a prova e quando retornou ao hotel onde estava hospedado foi abordado pelos policiais.

Já Jadson, flagrado no local de prova, admitiu usar um ponto eletrônico, mas não confirmou participar do esquema de pagamento. O trio foi autuado por fraude e associação criminosa.

Preso em Fortaleza

Além dos três presos em Iguatu, João Vitor Silva Ferreira foi preso em Fortaleza, ao tentar entrar na sala da aplicação da prova portando um celular.

Segundo o Instituto de Desenvolvimento Educacional, Cultural e Assistencial Nacional (Idecan), que atuou em parceria com a inteligência da PM, ao perceber haver detectores de metais, o candidato pediu para ir ao banheiro e descartou o aparelho na lixeira. Ao perceberem a manobra, os fiscais acionaram a polícia.

  1. O concurso de soldado da PM teve mais de 75 mil inscritos que disputam mil vagas de contratação imediata e 500 de cadastro reserva. São 850 oportunidades para homens e 150 para mulheres. As provas do certame ocorreram na capital e outros cinco municípios.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *