Mãe de brasileiro capturado: “Se for para sofrer, melhor morrer logo”

0

Hits: 6

https://uploads.metropoles.com/wp-content/uploads/2023/09/13125334/Danilo-Cavalcante-brasileiro-preso-nos-EUA.jpeg
Danilo Cavalcante, brasileiro preso nos EUA e capturado pela polícia após 14 dias de fuga – Foto/Reprodução/Policia da Pensilvania

Em entrevista ao The New York Times antes de o filho ser capturado pela polícia, a mãe de Danilo Cavalcante diz que ele não é uma ameaça.

A população em torno do condado de Chester, na Pensilvânia (EUA), agora dorme mais tranquila depois que a polícia encontrou o fugitivo brasileiro Danilo Cavalcante. Mas foram 14 dias de tensão e terror. E, segundo a mãe do brasileiro, Iracema Cavalcante, a explicação para tanta dificuldade para o filho ser capturado é que ele “foi treinado para sobreviver”.

Em entrevista ao jornal The New York Times, antes de as autoridades norte-americanas encontrarem Danilo, Iracema afirmou que o filho teve uma vida que o treinou para viver sozinho e superar as adversidades. “Seu treinamento foi seu sofrimento”, disse, na primeira conversa com a imprensa desde que o rapaz escapou da prisão.

“Ele ia dormir com fome. E, quando acordava, eu me perguntava como alimentá-los”, contou Iracema, detalhando que o filho nunca frequentou a escola e começou a trabalhar com 5 anos de idade, como engraxate, vendendo verduras em um mercado e mais tarde em uma fazenda. “Eram pobres. Somos humildes, mas somos trabalhadores”, continuou.

A entrevista aconteceu antes de Danilo ser capturado. Entretanto, Iracema já tinha uma visão fatalista sobre o assunto caso o filho fosse para uma prisão de segurança máxima. “Se for para ir para um lugar sofrer e morrer naquele lugar, é melhor morrer logo”, disse.

O medo da mãe se confirmou. O Departamento de Correções estadual informou que Danilo ficará na Instituição Correcional Estadual Phoenix, no condado de Montgomery, próximo a Chester, exatamente uma prisão de segurança máxima.

Danilo escapou do presídio do condado de Chester no dia 31 de agosto, 15 dias depois de começar a cumprir sua pena de prisão perpétua por ter matado a ex-namorada Débora Evangelista Brandão, em 2021. “Ele a esfaqueou fatalmente 38 vezes, em plena luz do dia, na frente do filhos dela, de 4 e 7 anos. Depois, escapou e foi ajudado por familiares e amigos. A Polícia do Estado da Virgínia conseguiu prendê-lo mais tarde, no mesmo dia”, contou a promotora do condado em que ocorreu o crime, Deb Ryan.

Antes, Cavalcante ainda era procurado pelo homicídio de Valter Júnior Moreira dos Reis, em 2017, morto a tiros em uma praça em Figueirópolis, em Tocantins.

 

Metrópoles

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *