João e Raquel vão buscar mais recursos

0

Hits: 0

O prefeito do Recife, João Campos (PSB), disse que irá procurar os recursos disponíveis. A governadora Raquel Lyra destacou a capacidade de diálogo do presidente Lula. (Rafael Vieira/DP)
O prefeito do Recife, João Campos (PSB), disse que irá procurar os recursos disponíveis. A governadora Raquel Lyra destacou a capacidade de diálogo do presidente Lula. (Rafael Vieira/DP)

Com R$ 91,9 bilhões garantidos, estado e prefeitura vão atrás dos R$ 136 bilhões previstos no PAC que ainda não têm destinação definida

O governo federal detalhou, ontem (11), os investimentos do Novo PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) em Pernambuco. Ao todo, serão investidos R$ 7 trilhão no programa, sendo R$ 91,9 bilhões para obras no estado, divididas em diversas áreas. Segundo o ministro da Casa Civil, Rui Costa, os recursos destinados a Pernambuco podem ser ampliados na segunda fase do programa, que terá novos editais lançados ainda este mês.

A segunda fase do Novo PAC, que será destinado a novas obras, tem recursos previstos de R bilhões a serem distribuídos de acordo com os projetos apresentados. Presente no evento, o prefeito do Recife, João Campos, já antecipou que vai disputar os novos recursos. “Falei com o ministro Rui, que vi ali que tem R$ 136 bilhões disponíveis, então pedi pra ele se preparar para receber pedidos grandes. Só de obras de contenção de encostas tem R$ 55 milhões em projetos. Então vamos abrir nossa carteira de projetos e pleitear os investimentos. Eu diria que eu aprendi com meu pai que a gente tem que saber pedir, tem que fazer o projeto, fazer o dever de casa e poder realizar tudo isso”, destacou o chefe do Executivo municipal.

De acordo com a secretária-executiva da Casa Civil, Miriam Belchior, a primeira etapa do Novo PAC contempla obras que estavam paralisadas ou em ritmo lento. Já a nova fase, que vai ser aberta até o final de setembro, é destinada para que estados e municípios possam apresentar seus projetos até ao longo do mês de outubro.

A governadora Raquel Lyra destacou a capacidade de diálogo do presidente Lula e a disposição de trabalhar em conjunto com o estado para otimizar os investimentos. “Com os investimentos que chegam pelo Novo PAC, anunciamos um novo rumo para o nosso estado e um novo momento para Pernambuco. Por isso, quero agradecer a capacidade de diálogo do presidente Lula e de seu governo.  O estado está trabalhando com o governo federal para que a gente possa agilizar, através de cooperação técnica e financeira, para permitir que cada região possa ter avanços”, ressaltou Raquel Lyra.

De R$ 1,7 trilhão do Novo PAC, R,4 trilhão serão executados até 2026, ficando R$ 300 bilhões para os anos seguintes. Em Pernambuco, nesse recorte temporal, até o final dos atuais mandatos de Lula e Raquel Lyra, serão investidos R$ 51,1 bilhões, dos R$ 91,9 bilhões destinados ao estado. Os investimentos estão distribuídos em nove eixos: Transporte Eficiente e Sustentável; Cidades Sustentáveis e Resilientes;  Saúde; Transição e Geração Energética; Educação, Ciência e Tecnologia;  Água para Todos; Inclusão Digital e Conectividade; Infraestrutura Social Inclusiva; Inovação para a Indústria da Defesa.

OBRAS

Um dos grandes destaques do Novo PAC em Pernambuco é o segmento de Transportes e Infraestrutura Viária, com a previsão de 17 projetos entre rodovias e ferrovias. Estão na lista a construção do ramal ligando a cidade de Salgueiro a Suape; a duplicação da BR-423 de São Caetano até Salgueiro; a conclusão da duplicação da BR-104, de Toritama até Pão de Açúcar, na divisa com a Paraíba; o contorno urbano de Petrolina; o Arco Metropolitano e os estudos para recuperação e requalificação do Metrô do Recife.

Na área de recursos hídricos, são destaques a conclusão da segunda etapa da Adutora do Pajeú e da primeira etapa da Adutora do Agreste, além da realização do projeto da segunda etapa. Ainda estão na lista a conclusão das barragens do sistema de contenção de enchentes da Mata Sul: Gatos e Panelas II.

TRANSNORDESTINA

Segundo o ministro da Casa Civil, Rui Costa, trecho Salgueiro-Suape da Transnordestina será construído como obra pública federal, e não como concessão. “Enquanto o ministro Renan Filho estuda qual vai ser a nova modelagem da Transnordestina, vamos tocando o projeto como obra federal. É um compromisso do presidente Lula resgatar o projeto inicial da ferrovia, iniciado nos seus governos anteriores”, destacou.

METRÔ

Ação aguardada com muita expectativa pela população do Recife, Jaboatão e Camaragibe, a recuperação e requalificação do Metrô do Recife vai demandar estudos para avaliar os melhores investimentos para o serviço. O ministro Rui Costa adiantou que é preciso que o sistema metroviário seja integrado ao sistema de transporte público por ônibus. “Em nenhum lugar do mundo, os dois sistemas são independentes. Até porque, boa parte dos usuários do Metrô precisam de outro modal para se deslocar até a estação do metrô. Então não tem sentido não existir essa integração e até uma tarifa única. Tudo isso vai estar no estudo”, explicou.

Questionado pela reportagem do Diario de Pernambuco sobre a gestão do sistema, o ministro afirmou que até a finalização dos estudos e investimentos, o Metrô do Recife vai continuar sendo administrado pela estatal  federal CBTU. “Quando concluirmos os estudos, vamos ver também qual a melhor modelagem para o Metrô do Recife. Em Salvador, por exemplo, que tem um dos serviços mais bem avaliados do País, a solução que encontramos foi uma PPP”, comparou.

Por: Diario de Pernambuco

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *