Candidato é preso quando fazia as provas do Enem em Arcoverde, no Sertão de Pernambuco

Hits: 1

Um candidato que fazia prova do Enem foi preso no prédio onde estava neste domingo, primeiro dia da avaliação. O caso aconteceu em Arcoverde, no Sertão de Pernambuco. No Estado estão inscritos 184.860 estudantes para o Enem impresso e 1.977 para o modelo digital. Provas de redação, linguagens e ciências humanas vão até 19h.

Outras quatro ocorrências foram registradas pela Polícia Militar de Pernambuco relacionadas às provas neste domingo. Foram nas cidades de Recife, Cabo de Santo Agostinho e Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana; e Caruaru, no Agreste.

Ainda neste domingo houve queda de energia em duas escolas que são locais de prova: em Bonito, no Agreste; e em Águas Belas, no Sertão.

Prisão

“Em Arcoverde, o candidato tinha um mandado de prisão por tráfico de drogas. Ele estava na sala. Um dos nossos PMs se passou por fiscal e o chamou para fora, logo no início da aplicação. Quando saiu, recebeu voz de prisão”, relata o major Daniel Augusto da Silva (foto), que coordena o Enem em Pernambuco pela PMPE.

Segundo o oficial, os demais participantes do Enem não perceberam a prisão e a aplicação transcorreu sem problemas no prédio de Arcoverde.

Em Caruaru, um show que estava sendo realizado em um shopping atrapalhou os candidatos por causa do som alto. Mas a PM interviu e resolveu.

Em Pontezinha, no Cabo de Santo Agostinho, um grupo de capoeira estava reunido em um prédio próximo a um local de prova. Antes mesmo de começar o exame, candidatos pediram que o barulho fosse interrompido. Foram atendidos.

No Recife houve um desentendimento entre duas pessoas nas proximidades da Unicap, na Boa Vista, por causa de engarrafamento. Em Candeias, Jaboatão dos Guararapes, o pai de um candidato foi atropelado por uma moto.

“Uma viatura dos Bombeiros socorreu o homem e o levou para UPA de Barra de Jangada. O que soubemos é que ele machucou o joelho”, explica major Daniel.

Sem energia

Em Águas Belas, no Sertão, houve interrupção do fornecimento da energia, por cerca de 40 minutos, na Escola João Rodrigues Cardoso. O fato ocorreu por volta das 15h30. Os estudantes terão acréscimo de 40 minutos no final do exame para compensar, embora a realização da avaliação não tenha sido interrompida.

Em Bonito, na Escola Paulo Viana de Queiroz, o problema foi mais grave. A energia acabou por volta das 14h30 e até 16h30 não havia sido restabelecida. Como em Águas Belas, os feras continuaram realizando as provas. Mas terão aumento do tempo final, conforme o período em que a escola ficar sem energia.

Por Margarida Azevedo/JC

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *