Após transplante, Faustão diz que não volta para a TV: ”Fiz a minha parte”

0

Hits: 0

Faustão estreou na TV em 1984, no programa Perdidos na Noite, da extinta TV Gazeta (Memoria Globo/Divulgação)
Faustão estreou na TV em 1984, no programa Perdidos na Noite, da extinta TV Gazeta (Memoria Globo/Divulgação)

O apresentador está internado no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, onde se recupera do transplante no coração feito no domingo

O apresentador Fausto Silva, o Faustão, disse que não pensa em voltar à televisão. O apresentador, que deixou o Faustão na Band em maio, disse em entrevista ao Uol que tem outros planos para quando se recuperar do transplante. Ele pretende se lançar em outros formados de comunicação, como o Youtube.

O apresentador Fausto Silva, o Faustão, disse que não pensa em voltar à televisão. O apresentador, que deixou o Faustão na Band em maio, disse em entrevista ao Uol que tem outros planos para quando se recuperar do transplante. Ele pretende se lançar em outros formados de comunicação, como o Youtube.

Faustão disse, ainda, que prefere sair enquanto está no alto. “É bom parar enquanto você está no alto. Pelé saiu no auge. Garrincha na baixa. Isso faz toda a diferença. Eu sei que vai ser melhor eu encerrar agora.” Faustão estreou na TV em 1984, no programa Perdidos na Noite, da extinta TV Gazeta. Entre 1989 e 2021, ele comandou o Domingão do Faustão, na TV Globo. O último trabalho foi na Band, onde permaneceu por pouco mais de um ano.

O apresentador está internado no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, onde se recupera do transplante no coração feito no domingo. Ele foi internado no hospital em 5 de agosto para tratar de uma insuficiência cardíaca. “Sinto como se o meu coração batesse ainda mais forte, é uma sensação única. Tiveram que tirar um monte de entulho de dentro de mim, e colocaram um coração novo, de um garotão de 35 anos. É algo que me faz sentir muito vivo”, disse.

Nesta quinta (31/8), Faustão usou as redes sociais para agradecer à família do doador. Emocionado, ele disse que o pai do jogador responsável pela doação deu a ele uma nova chance de viver. “Fazer um agradecimento especial ao José Pereira da Silva, pai do Fábio, que teve uma grandiosidade incrível, uma generosidade absurda e proporcionou que eu continuasse vivo. Eternamente grato ao José Pereira da Silva, homem simples. Eu fico emocionado, porque ele me deixou a chance de viver de novo.”

O caso do Faustão causou um efeito nunca antes visto na história do Brasil. A Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (ABTO) disse em uma coletiva de imprensa nesta quinta-feira (31/8) que o país chegou a marca de 19 doadores por milhão de habitantes, número nunca alcançado na história.

Por: Correio Braziliense

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *